quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Anticoncepcionais Orais - Mitos, Verdades e Recomendações

Postado por Falcolina Coisas da Lina às quinta-feira, outubro 28, 2010
- Minha postagem foi baseada no site Boa Saúde -
(Copiei e colei quase toda a reportagem e comentei abaixo)

Pílula engorda? Dá varizes? Prejudica a pele e os cabelos? Piora o humor? As dúvidas são tantas que muitas vezes é difícil separar os fatos dos mitos. A seguir, apresentamos algumas das questões mais comuns envolvendo a Pílula:

01 - Parar de tomar pílula pode causar acne.Verdade. Os androgênios (hormônios masculinizantes) têm sido implicados na etiologia da acne vulgar, possivelmente por intensificar a hiperceratose folicular. Os ACOs reduzem os níveis sangüíneos de androgênios e, dessa forma, podem colaborar para diminuir a gravidade da acne. Por outro lado, com não existem verdades absolutas na medicina, em algumas raras mulheres a acne pode ser um efeito colateral da pílula.
01- Bem, nesse caso não estou sentindo efeito de volta. Antes de casar e começar a tomar a pílula, a minha pele era horrorosa (preciso achar uma foto...). Aos 12, comecei com a fase T, que a parte oleosa era a testa, nariz e queixo. Tinha muitos cravos e minha pele era de assustar. Aos 15, a fase T passou e as bochechas foram o alvo. Fiz vários tratamentos e nada. Mas não eram cravos, eram espinhas internas com bolsas de pus que eram doloridas demais. Só passou mesmo com os anti...

02 - Alguns remédios podem anular o efeito do anticoncepcional.Verdade. Sabe-se que a ampicilina, por exemplo, um antibiótico bastante comum e utilizado no tratamento de infecções urinárias, faringo-amigdalites e pneumonias, entre outros, pode reduzir a eficácia dos ACOs. Ainda, várias drogas anti-convulsivantes (utilizadas no tratamento de diversas formas de epilepsia) podem diminuir a eficácia dos anticoncepcionais orais. Nesses casos, a mulheres devem se certificar de que o contraceptivo oral escolhido contenha pelo menos 50 microgramas de etinil-estradiol ou mestranol.
02- Comigo nunca aconteceu. Nesses três anos, nunca sofri isso não! (Que bom, né).


03 - Mulheres que usam pílula têm maior risco de câncer de mama e de útero.
Vamos por partes. O risco de câncer de mama é praticamente o mesmo entre usuárias e não-usuárias de ACOs. Nos tumores malignos do endométrio (camada mais interna do útero) e do ovário, a pílula exerce um efeito protetor - as usuárias de ACOs apresentam metade do risco de câncer de endométrio e ovário das não-usuárias.

Entretanto, o uso de contraceptivos orais por mulheres jovens parece associar-se ao surgimento de miomas uterinos (tumores benignos) na pré-menopausa, mas são necessários outros fatores reprodutivos (a pílula não leva a culpa sozinha...).
Mas acho que ajuda.

Quanto à relação entre câncer de cérvice uterina e uso de ACOs, parece não existir consenso - alguns estudos indicam um aumento na incidência, mas nada está definitivamente comprovado.
Prefiro não arriscar mais. Tem 10 meses que não tomo pílulas e me sinto ótima!

04 - Pílula engorda.Ainda que o ganho de peso esteja entre as queixas mais comuns das mulheres que utilizam ACOs, estudos mostraram que isto pode não ser completamente verdadeiro. Uma pesquisa recente avaliou a variação de peso de 128 mulheres em uso de contraceptivos orais durante 4 meses e descobriu que 72% das pacientes não apresentaram qualquer alteração de peso no final do período. Assim, queixar-se de ganho de peso já não é a melhor desculpa para interromper o uso da pílula...
04- Tá bom...hahaha! Gente, foram 15 kgs!!! Isso é pouco? Não vou tirar minha culpa do cartório, mas tenho certeza de que 80% é causado sim por elas. Troquei de remédio três vezes e nada.


05 - Pílula faz mal para o cabelo.Não existem evidências científicas comprovando este fato.
05- No meu caso melhorou muito. Nunca tive um cabelo muito liso. Era um liso-cacheado, bonito até ( eu gostava). Depois que comecei a tomar o anti, meu cabelo alisou muito, os cachos sumiram! Nem cuido dos meus cabelos, e nem faço qualquer tipo de tratamento. Hoje, percebo que está crescendo fios novos e cacheados. Pra mim tá quase que comprovado...Alisa cabelo!!!!

06 - A pílula me encheu de varizes.Os ACOs possuem diversos efeitos sobre o sistema cardiovascular e é possível que estejam envolvidos de alguma forma no desenvolvimento de teleangiectasias (varizes), mas as pesquisas produziram resultados controversas até o momento.
06- De varizes não. Mas do resto, sim. (sem comentários desnecessários)

07 - Depois que comecei a tomar a pílula, meu humor mudou.
Podem ocorrer náuseas, dor de cabeça, dor nos seios, sangramentos vaginais irregulares e depressão nos primeiros meses de uso da Pílula, mas estes efeitos colaterais freqüentemente cessam após alguns meses.
07- Posso dizer que hoje estou bem melhor com meu humor... Estou mais equilibrada emocionalmente.


08 - A Pílula pode ser usada no tratamento da endometriose.
ACOs realmente fazem parte do tratamento não-cirúrgico desta doença. Progestinas isoladamente podem ser úteis e são a primeira escolha de muitos especialistas.



09 - Depois que comecei a tomar a pílula, não tive mais cólicas menstruais.
A menstruação dolorosa (chamada de dismenorréia pelos médicos) é menos freqüente nas mulheres que não ovulam. Por isso, os ACOs podem ser úteis em 70-80% dos casos de dismenorréia. Quando a pílula é suspensa, as mulheres geralmente sentem a mesma intensidade de dor que apresentavam antes do seu uso.

Todavia, alguns ACOs podem estar associados à ocorrência de hipermenorréia (menstruação muito volumosa e intensa) e a falta de controle de problemas no ciclo menstrual, caracterizada principalmente por sangramentos irregulares e menstruações dolorosas, são problemas comuns enfrentados por algumas usuárias de contraceptivos orais, sendo uma das principais razões de suspensão do uso - cerca de 1/3 das mulheres em uso de ACOs apresentam sangramentos (spottings)intermenstruais.
09- Nunca fui de sentir cólicas, mas tomando os anti, aí mesmo que parecia nem estar nos 'dias'. Hoje que não tomo mais, sinto uns desconfortos na parte lombar e alterações grotescas de humor. Mas passa rápido. Melhor do que engordar... (né?)


10 - Mulheres que tomam Pílula demoram mais para engravidar quando param.
Verdade. O retorno à fertilidade em mulheres que interromperam o uso de ACOs leva mais tempo quando comparado às mulheres que interromperam outros métodos contraceptivos, mas não parece haver prejuízo da fertilidade como um todo.


11 - Com o tempo, a Pílula ajuda a proteger os ossos.
Algumas pesquisas têm mostrado que o uso de altas doses de ACOs em mulheres após a menopausa diminui o risco de fraturas e suspeita-se que seu uso possa melhorar a densidade mineral óssea em mulheres jovens, mas faltam maiores comprovações científicas.

12 - Mulheres com doença falciforme não podem tomar Pílula.
Mulheres com drepanocitose (doença falciforme) freqüentemente não fazem uso de contraceptivos orais contendo estrogênio e progesterona, pois preocupam-se com a possibilidade dos hormônios piorarem a doença. Estudos laboratoriais não encontraram evidências comprovando este temor.

13 - Mulheres com Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) não devem tomar Pílula.
Verdade. Os contraceptivos orais podem precipitar episódios de LES em mulheres portadoras desta doença.

14 - Tenho mais de 40 anos e acabei de ter minha última menstruação. Não preciso mais tomar pílula.
Perigo! Este tipo de comportamento está arriscado a ser premiado com uma gravidez indesejada. Nas mulheres que estão entrando na menopausa, recomenda-se o uso de ACOs por 12 meses após a última menstruação.

15 - A Pílula pode piorar a asma.Mentira. As alterações nos níveis hormonais parecem ter um papel importante na gravidade da asma nas mulheres e cerca de 30 a 40% das mulheres apresentam flutuações na gravidade das crises relacionadas ao ciclo menstrual. A crise tende a ocorrer três dias antes e durante os quatro dias da menstruação. Os anticoncepcionais orais podem ajudar estes casos, nivelando as flutuações hormonais.

Precauções e Contra-indicações no uso de Contraceptivos oraisApresentamos abaixo uma lista de possíveis situações que devem ser consideradas e discutidas com seu médico antes de escolher um método contraceptivo.

A Pílula não é recomendada em mulheres com:

- Tromboflebite ou distúrbio tromboembólico ou história de coagulopatia.
- História de acidente vascular cerebral (derrame).
- História de doença arterial coronariana, angina pectoris, ataque cardíaco, insuficiência cardíaca ou valvulopatia cardíaca.
- Insuficiência renal.
- Antecedentes ou suspeita de câncer de mama ou câncer estrogênio-dependente em órgãos reprodutivos.
- Gravidez confirmada.
- Tumor de fígado ou Hepatite aguda.

Recomenda-se acompanhamento médico regular e criterioso para as mulheres em uso de contraceptivos orais que apresentem qualquer um dos seguintes itens:

- Sejam fumantes e tenham mais de 35 anos de idade (os riscos são ainda maiores naquelas que fumam mais de 15 cigarros/dia)
- Enxaqueca após o uso de contraceptivos orais
- Diabetes ou Diabetes gestacional
- Cirurgia eletiva de grande porte, com ou sem previsão de imobilização prolongada
- Sangramento vaginal/uterino de origem obscura
- Drepanocitose (Anemia Falciforme)
- Mulheres na fase de aleitamento
- Doenças da vesícula biliar ou icterícia
- Mulheres com mais de 50 anos de idade
- Doenças do coração ou rins, ou história familiar (especialmente mãe ou irmãs) de morte por doença cardíaca antes dos 50 anos de idade.
- História familal de hiperlipidemia (excesso de gordura no sangue)
- Retardamento mental, doenças psiquiátricas, alcoolismo, dependência de drogas ou qualquer outro distúrbios que dificulte a utilização regular da medicação.

*

Por alguns desses motivos e outros, decidi não mais tomar. Não quero bebês agora (e nem posso! Aff), mas a minha saúde precisa estar boa o suficiente para uma vida toda.
Não vou dizer que sou contra remédio, porque eu tomo quando realmente preciso. Sou contra tomar qualquer remédio para aliviar uma dor que pode ser suportada.
Decidi não mais tomar o anti e minha saúde agradeceu. E meu corpo também.
Preciso ser mais cuidadosa para evitar baby, mas vale à pena (no meu caso.)

E você o que acha disso tudo?????

Beijos da Lina


7 comentários:

Leticia on 28 de outubro de 2010 07:10 disse...

Nem fala Lina...
Não consigo tomar. Eu criei um tipo de problema com eles e ainda não resolvi... fui em uns 5 médicos e nada! Enfim, era ótimo para acne no meu caso... que tenho um tratamento ferrado!
Beijos
lelê

Flávia Mergulhão on 28 de outubro de 2010 09:48 disse...

Lina,

Vou falar minha experiencia: tomo pilula há mais de 12 anos. Uma única vez parei para experimentar outro método anticoncepcional: o anel vaginal. Voltei correndo para a pílula , pois não me adaptei.
Acho que as dúvidas e os sintomas descritos variam muito de mulher para mulher.
Se nós formos nos basear nestas reportagens de revistas vamos ficar loucas, pq coincidentemente hoje cedo estava lendo uma reportagem na Mare Claire de abril deste ano e contradiz tudo o que foi dito na Boa Saude.Na marie Claire foram 5 ginecologistas consultados chefes de serviço e professores de Universidades.
O melhor é consultar seu ginecologista e tirar todas as duvidas.Conversar com seu parceiro tb, procurando o melhor método para os dois.
Eu estou muito feliz com a pílula, estou chegando aos 40 anos, acho que ainda estou longe da menopausa e não abro mão do meu método Ac.
Estou na lista das mulheres que não querem ter filhos, mas quanto ao fator infertilidade já foi provado e comprovado que o problema não é o remédio e sim a idade- mais idade, menos óvulos...

Um beijo grande e boa sorte na sua escolha, o importante é prevenir não só a gravidez , mas sim as DST então, com pílula ou sem´pílula, camisinha SEMPRE!

Flávia

trecos e apetrechos da Fran on 28 de outubro de 2010 11:33 disse...

Tomei vários anos AC e não tive nenhuma mudança, não engordei, não mudou nada.
Mas não acho legal como método anti-conceptivo para a vida toda, afinal são hormônios, né?
Por isso optamos por fechar a fábrica lá em casa, assim não nos preocupamos mais com uma possível gravidez.
BJS

Fernanda Reali on 30 de outubro de 2010 20:59 disse...

Tomei por muitos anos e foi tranquilo. Depois que as crianças nasceram, passei a usar Mirena, um tipo de diu com hormônios. Acho excelente.
Um beijoooo

Elis (Coisas de Lily) on 2 de novembro de 2010 23:01 disse...

Lina, recentemente meu cardio pediu que eu passasse a usar o Mirena (carérrimo pro meu bolso) ou deixasse de tomar as pílulas (tomo há 15 anos). Por conta disso o marido passou recentemente pela vasectomia (graças a Deus q ele topou!) Temos um filho de 12 anos e nao pensávamos mesmo em ter mais filhos. De qualquer forma ainda tomarei por mais 2 meses, até q marido faça exames e descubra que os "bichinhos" perderam as forças, né? Não vamos arriscar..rsrs..
mas todos esses anos foi super tranquilo com as pílulas (tirando as enxaquecas), mas o problema maior foi a minha pressão que começou a subir de repente, e o cardio me disse que a pílula contribui. Enfim... nao sei como meu corpo vai reagir sem elas, mas depois eu volto e conto.
bjs!

Anita on 3 de novembro de 2010 22:55 disse...

Olá Lina, minha experiência com pílula já terminou há mtos anos, pq depois do 2ºfilho, liguei(que por sinal foi uma maravilha), mas durante os 7 anos que usei sem interrupção não tive nenhum problema, absolutamente nada, nem engordei, nem mudei cabelo, nem tinha dor de cabeça, não sentia nada de diferente, mas como tenho uma arritmia cardíaca congênita, o médico decidiu q eu não deveria mais usar por tanto tempo, foi só parar pimba o 2º filho chegou, aí resolvi ligar e tudo bem.Bjs

Leticia on 4 de novembro de 2010 22:14 disse...

Querida!
Parabéns e super boa sorte no novo emprego!!! :-)
Saudades... realmente estava notando que vc sumiu... nunca mais te vi no tui...
Beijos
lelê

Postar um comentário

 

FalcoLina Coisas da Lina Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Online Shop Vector by Artshare